Blog do Bruno Voloch

Arquivo : março 2014

Rio fica, Pinheiros vai
Comentários 4

Bruno Voloch

Alívio no Rio de Janeiro.

O time passou novamente pelo Pinheiros e está na semifinal da superliga.

O que para muitos seria uma classificação tranquila e lógica, acabou virando uma grande incógnita em função da campanha irregular e do desempenho inconstante do time durante os dois primeiros turnos.

Fato é que o resultado em São Paulo, vitória por 3 a 2, acabou resolvendo a série a favor do Rio.

Num Maracanãzinho com público decepcionante e abaixo da crítica, o Rio foi menos inseguro, um pouco mais regular e ganhou com relativa tranquilidade por 3 a 0.

Não era de se esperar mesmo resistência por parte do Pinheiros. A derrota em casa acabou sendo decisiva e o time não teve equilíbrio emocional e força para reagir.

Carol, que levou uma bronca injusta e cinematográfica de Bernardinho no terceiro set, foi a melhor jogadora do Rio.

O Rio fica, o Pinheiros vai.


Cofre aberto em Taubaté
Comentários 13

Bruno Voloch

O mercado está aberto.

Enquanto Minas, Cruzeiro, Sesi e Campinas jogam as semifinais e de olhos abertos nas futuras negociações, outros clubes já estão agindo nos bastidores.

O time de Taubaté, que fez uma superliga decepcionante, pretende investir pesado.

Dante, hoje no vôlei de Japão, e Lorena, que defendeu Maringá, estão cotados. Ricardo Navajas, supervisor do clube, não abre mão de contar com um levantador de primeira linha.

Marcelinho, hoje no Minas, é prioridade. Os dois trabalharam vários anos juntos no extinto e vitorioso time de Suzano.

A situação da comissão técnica deve ser resolvida nas próximas semanas.

 


Ary Graça trabalha nos bastidores para incluir Osasco no mundial de clubes
Comentários 18

Bruno Voloch

No Rio de Janeiro, resolvendo problemas particulares, o presidente da FIVB, Ary Graça, não deixa o trabalho de lado e segue lutando pelos clubes brasileiros.

As denúncias contra o ex-mandatário do vôlei brasileiro em tese poderiam atrapalhar os planos do Osasco em disputar o mundial de clubes.

A equipe paulista só poderá jogar a competição através de um convite oficial da FIVB. Dois clubes receberão o convite.

Ary Graça é o grande aliado político de Osasco.

O mundial será jogado em Zurique, na Suíça, entre 6 e 11 de maio.

O Volero, equipe local, não teria interesse na participação de mais duas equipes da Europa.

A CEV, Confederação Europeia, pressiona e pede pela inclusão do Vakifbank, atual campeão mundial, e Rabita Baku, do Azerbaijão.

Ary Graça passa o fim de semana no Rio e embarca para a Suíça no domingo. O dirigente espera anunciar em breve a presença de Osasco no mundial.

O Sesi, campeão sul-americano, e o Dínamo Kazan, campeão da Champions League, estão classificados.


Evolução, covardia, conformismo e rodinha 28
Comentários 7

Bruno Voloch

Alguns pontos interessantes devem ser destacados na classificação de Osasco para as semifinais da Superliga e a consequente eliminação do penetra Brasília.

O esporte tem lá dessas coisas.

Curiosamente, Brasília se comportou bem em quadra no primeiro set, aproveitou que o adversário entrou e sem motivação. Rendeu acima do esperado principalmente com Flavinha, que não fica atrás da considerada titular, e Ju Maranhão, e venceu no limite, quando Osasco começava a despertar do sono.

A derrota inesperada foi o suficiente para Osasco acordar e acabar com a brincadeira.

Em 3 sets arrasadores, o time paulista fez 21/14, 21/8 e 21/10 e fechou a conta. Os dois últimos sets foram covardia tamanha a disparidade entre as equipes.

Adenízia ressurgiu e parece ter voltado aos melhores dias. Talvez o nível técnico do penetra não nos permita ir muito além, mas a jogadora reagiu e fez sozinha o dobro dos pontos de bloqueio de Brasília e foi merecidamente eleita a melhor em quadra.

A má performance de Caterina não chega a ser nenhuma surpresa. Gabi, sempre efetiva, deu conta do recado.

No fim do jogo, beijinhos e abraços na rede.

A comissão técnica de Brasília e as jogadoras distribuíam sorrisos em quadra com a certeza do dever cumprido, sinal de conformismo e de que o time foi além do que se esperava.

Ao Osasco só restou fazer a rodinha 28.

 


Fenerbahçe, de Garay, derrota Uralochka e fica perto do título da CEV
Comentários 10

Bruno Voloch

O Fenerbahçe, da Turquia, deu um grande passo para a conquista da Copa CEV, segundo torneio mais importante da Europa.

Mesmo atuando na Rússia, o Fenerbahçe conseguiu se impor e venceu o Uralochka por 3 sets a 2.

A equipe turca abriu 2 a 0 com relativa facilidade com 25/16 e 25/17, mas cedeu o empate com 20/25 e 23/25. No tie-break, o Fenerbahçe voltou a jogar bem e fechou com 15/9.

Fernanda Garay atuou os 5 sets e marcou 9 pontos.

Y.K.Kim foi decisiva. A jogadora coreana fez 27 pontos e resolveu o jogo no quinto set.

A experiente cubana Ruiz, pelo Uralochka, deu trabalho e marcou 17 vezes.

A segunda partida acontecerá no sábado, dia 29, no ginásio de Burhan Felek, em Istambul, na Turquia.

 


Itália se divide entre Taismary Aguero, Costagrande e Francesca Piccinini
Comentários 15

Bruno Voloch

A Federação de vôlei da Itália anunciou recentemente a volta de Marco Bonitta ao comando da seleção feminina.

O retorno do treinador começa a causar uma série de especulações em torno das próximas convocações.

Fontes ligadas ao técnico garantem que ele já conversou com Taismary Aguero, cubana naturalizada italiana e que defendeu a seleção na olimpíada de Pequim em 2008 quando a Itália foi quinta colocada.

Questionada sobre o tema, Aguero apenas desconversa. A jogadora está com 37 anos e defende atualmente o Pomì Casalmaggiore da primeira divisão da Itália.

Medalhista de ouro em Sidney 2000 pela seleção de Cuba, Aguero era quase uma unanimidade em 2008, mas acabou tendo problemas pessoais e não rendeu o esperado. A chegada de Aguero porém gerou ciúmes no grupo e a atleta nunca teve bom relacionamento com Francesca Piccinini, ídolo do país e tida como ‘intocável’.

Se optar pelo retorno de Aguero, Bonitta terá que abrir mão de Carolina Costagrande, argentina naturalizada italiana. A FIVB, Federação Internacional de Vôlei, só permite uma jogadora naturalizada por país.

A Itália, campeã do mundo em 2002 sob comando de Bonitta, será sede do mundial em setembro.

 

 

 


Campinas erra na hora H e Lucarelli justifica contratação
Comentários 9

Bruno Voloch

O Sesi deu um enorme passo para ser finalista da superliga.

A vitória suada e sofrida diante do aguerrido time de Campinas por 3 a 1 deixou a classificação para a decisão bem encaminhada.

Sem poder contar com o oposto Evandro, Lucarelli roubou a cena e foi o principal responsável pelo resultado.

Lucarelli assumiu taticamente uma função diferente dentro de quadra, mostrou personalidade e virou bolas importantíssimas.

Se não fosse ele, O Sesi certamente teria amargado uma derrota no primeiro set e poderia comprometer o resultado final do jogo.

Renan começou assustado, mas se soltou aos poucos e acabou não comprometendo.

Murilo entrou bem na partida e embora esteja distante das condições físicas ideais, ajudou o Sesi em várias passagens. Como consolo, ganhou o prêmio de melhor em quadra escolhido pela comissão técnica. Mas dizer que Murilo jogou mais bola que Lucarelli é injusto.

Os centrais do Sesi foram regulares e Lucão mais efetivo, fundamental no fim do primeiro set. Mão, escalado por Pacheco, decepcionou.

Campinas deixou escapar perdendo o set inicial uma grande chance de mudar a história do jogo. Não dá para crucificar nenhum jogador. Campinas tem de fato um time inferior tecnicamente, mas a equipe é muito bem dirigida por Rivetti.

Diogo e Rivaldo se destacaram no ataque. Vini foi importante no bloqueio e saque.

O fundamento bloqueio poderia ter funcionado mais e certamente equilibraria mais o jogo.

A série parece aberta.

Se atuar com a mesma garra, disposição tática e for mais equilibrado nos momentos decisivos, finais dos sets, Campinas pode vencer em casa e sobreviver na competição. Para tanto, terá que jogar mais, e não foi pouco o que apresentou, do que fez na primeira partida.


Andreia e Ivna podem ganhar chance no Brasil B que jogará Montreux Masters
Comentários 24

Bruno Voloch

O planejamento não será alterado.

Não se mexe no que deu certo.

Baseado no que foi feito em 2013, o técnico da seleção brasileira feminina, José Roberto Guimarães, irá poupar as principais jogadoras nos primeiros torneios de 2014.

Jogadoras como Sheilla, Thaísa, Fabiana e Dani Lins não deverão ser chamadas para o tradicional Montreux Volley Masters que abre o calendário no fim de maio.

Para essa competição, o treinador vai usar um time B e na relação podem aparecer novidades. Não será surpresa se Andreia, do Pinheiros e Ivna, do Sesi, ganharem oportunidade.

Andreia é a segunda maior pontuadora da superliga e Ivna foi a grande responsável pela ascensão do Sesi.

As duas jogadoras estão sendo observadas pelo técnico e o desempenho de ambas vem agradando a comissão técnica. A concorrência porém é grande e nomes como Tandara e Natália são certos. Gabi, do Rio, e as gêmeas Monique, líder nas estatísticas de defesa, e Michelle têm boas possibilidades.

Pri Daroit e Ellen, chamados no ano passado, perderam espaço e dependerão dos jogos finais da superliga

A levantadora Fabíola, a líbero Camila e a central Adenízia, de Osasco, estarão na Suíça. Ainda no meio, Juciely e Walewska são as mais cotadas e Bia, do Sesi, corre por fora.

Claudinha ainda é a terceira opção como levantadora.

A China e a Rússia, atual bicampeã do mundo, estarão no caminho do Brasil na Montreux Volley Masters.

A Suíça fecha o grupo A. A vigésima nona edição do tradicional torneio, terá ainda as participações dos Estados Unidos, República Dominicana, Japão e Alemanha, seleções que formam o grupo B.

A Montreux Volley Masters de 2014 será jogada entre os dias 27 de maio e 1 de junho.


Empresário ligado a Ary Graça quebra silêncio e nega acusações de comissão
Comentários 11

Bruno Voloch

Fabio André Dias Azevedo quebrou o silêncio.

Com exclusividade, o empresário acusado de ser o braço direito de Ary Graça, presidente da FIVB, Federação Internacional de Vôlei, concordou em falar ao blog.

Atualmente morando na Suíça, Fabio negou todas as acusações:

‘Neste momento o que tenho a dizer é que a S4G nunca recebeu R$ 10 milhões da CBV a título de comissão por intermediação de contratos com o Banco do Brasil e que o contrato entre CBV e S4G foi encerrado Julho/2013’.

Fabio ainda deixou claro que a empresa cumpriu com todas as obrigações fiscais:

‘Durante o período de prestação de serviços, a S4G sempre atuou dentro dos maiores padrões éticos e de qualidade, realizou todas as obrigações contratuais, recebeu os valores devidos, emitiu as correspondentes notas fiscais, assim como recolheu os impostos conforme determina a legislação’.

O dono da S4G disse ainda ao blog que está preparando sua defesa e que em breve irá dar novos esclarecimentos.

Segundo denúncias da ESPN Brasil, duas empresas de pessoas ligadas a Ary Graça receberam R$ 10 milhões cada como forma de comissão para intermediar contratos de patrocínio com o Banco do Brasil.

Entre os dirigentes está o ex-jogador de vôlei Marcos Pina e Fábio Azevedo.

Apesar da comissão, os contratos foram assinados a partir de negociação direta entre a entidade e a estatal, sem necessidade de intermediação, conforme o banco informou.

 



Belgorod conquista Champions League; Rapha é eleito melhor levantador
Comentários 12

Bruno Voloch

A Rússia confirmou sua supremacia no vôlei mundial.

Após o Dínamo Kazan, de Gamova, vencer no feminino, o Belogorie Belgorod conquistou a Champions League e quebrou jejum que durava 10 anos.

Na final, jogada na Turquia, o Belogorod ignorou o fator casa e derrotou o Halkbank, do brasileiro Rapha, por 3 a 1.

A Rússia venceu as 3 últimas edições da competição. O Belgorod sucede ao Lokomotiv Novossibirsk, em 2013, e ao Zenit Kazan, em 2012.

O Halkbank fez história levando pela primeira vez uma equipe turca para a decisão.

O Jastrzebski, da Polónia, foi terceiro colocado ao vencer o Zenit Kazan, da Rússia, 3 a 1.

Sergey Tetyukhin foi eleito o MVP da Champions League.

Michal Lasko, do Jastrzebski foi o maior pontuador. Maxim Mikhaylov, do Zenit, atacante mais eficiente. Emre Batur, do Halkbank, foi escolhido melhor saque. O carrasco brasileiro Dmitriy Muserskiy ganhou como principal bloqueador e Matey Kaziyski, passe.

Rapha recebeu o prêmio de melhor levantador da europa.