Blog do Bruno Voloch

Arquivo : setembro 2013

Intervalo, incógnita e reação elogiável
Comentários 12

Bruno Voloch

O primeiro tempo do Botafogo contra o Flamengo deixou o torcedor muito preocupado. E com toda razão.

O time foi apático, sem vibração, parecia assustado e ainda sob efeito das duas derrotas consecutivas no brasileiro. Dominado, acabou sendo presa fácil para o Flamengo. Jefferson evitou o pior.

No intervalo tudo mudou. O time pisou no gramado para o segundo sob total desconfiança, mas respondeu rápido.

A impressão era que se tratava de um outro time. Agressivo, o Botafogo sufocou o adversário, empatou a partida e se tivesse tido um pouco mais de capricho nas finalizações poderia ter virado o jogo.

O torcedor porém não deve se iludir. O Botafogo caiu de produção nos últimos jogos e tecnicamente não tem sido aquela equipe que encheu os olhos dos analistas e a torcida de confiança. Diante do Flamengo, o Botafogo alcançou o empate muito mais na base da disposição. Menos mal.

Seedorf não rende o mesmo, Lodeiro tem sido pouco objetivo e o ataque custa a criar oportunidades. O lateral Edilson é uma grata surpresa, tem sido regular e útil no setor. Rafael Marques é taticamente um dos jogadores mais importantes do time. Ajuda na marcação quando o Botafogo está sendo atacado, joga pelos lados do campo e tem se mostrado um bom finalizador.

O empate contra o Flamengo deve ser comemorado. Um resultado negativo seria terrível em termos emocionais. O Botafogo reagiu, mostrou personalidade, mas precisa voltar a vencer o quanto antes.


Efeito ‘Mano’ dura 45 minutos
Comentários 18

Bruno Voloch

O resultado não foi ruim. O empate diante do Botafogo não pode ser considerado um mau resultado pelo Flamengo.

Diante das circunstâncias, o desempenho do time foi de certa forma surpreendente, especialmente nos primeiros 45 minutos. O Flamengo perdeu a oportunidade de definir o clássico e quem sabe a vaga para as semifinais.

Os jogadores mostraram uma disposição poucas vezes vista sob comando de Mano fazendo lembrar a heroica vitória contra o Cruzeiro nas oitavas de final.

Não existia bola perdida, muita movimentação dos jogadores de meio, participação efetiva dos laterais e uma zaga segura. 1 a 0 foi pouco pelo que produziu o time. Mas futebol é assim.

No segundo tempo o Botafogo foi dono da partida, dominou o Flamengo e mereceu o empate. Inexplicavelmente, o time recuou, deu espaço para o adversário e apresentou nítidos sinais de cansaço. Impressionante como o Flamengo cai de produção a partir dos 20 minutos. É uma rotina que vem desde os tempos de Dorival Junior.

Dirigido agora por Jayme de Almeida, até quando só os resultados irão determinar, o Flamengo deixa uma boa impressão. Não teve um destaque individual, mas o espírito rubro-negro foi incorporado pelos jogadores.

Se mantiver o nível da atuação do primeiro tempo, o Flamengo pode sonhar com algo a mais na Copa do Brasil. Se for o do segundo tempo, não deverá ir longe.

Acabar com a velha gangorra, característica marcante dos tempos de Mano, é o grande desafio de Jayme de Almeida.

 


Sucessora de Fernanda Venturini, Ana Tiemi quer distância e exige respeito
Comentários 24

Bruno Voloch

Ana Tiemi está muito bem, obrigado.

A levantadora brasileira renovou contrato por mais uma temporada com o Bursa Belediyesi.

Nesse papo rápido e sincero com o blog, Ana mostrou personaliade, falou do passado, da experiência no vôlei brasileiro e de seleção. Considerada a sucessora de Fernanda Venturini, Ana jamais conseguiu se firmar. Alta, ‘mão’ boa e habilidosa, ela admite que as experiências serviram de aprendizado e prefere não criar expectativas para o futuro.

Por que você optou em continuar na Turquia ?

Simples, porque me adaptei muito bem aqui e fiz uma boa temporada. Segundo fui valorizada e muito. os dirigentes fizeram de tudo pra que eu ficasse e honestamente não vi motivos pra voltar.

Você teve propostas para voltar ao Brasil ?

Sim, mas na verdade nem dei muita atenção. Dois times me chamaram.

Alguma mágoa do vôlei brasileiro ?

Mágoa não, apenas estava precisando respirar novos ares, ouvir críticas diferentes. No Brasil te rotulam por qualquer coisa, não sabem o que acontece fora das quadras. Não sabem se você ajuda sua família financeiramente, se você tem outras coisas que não seja vôlei, e falam mal, rotulam, piadas sem graça, eu não gosto dessas coisas. Nunca desrespeitei ninguém e queria que fosse assim comigo também. Aqui não tem nada disso. Cada um faz o seu e pronto.

Ana, você sempre foi considerada a sucessora da Fernanda Venturini. Isso atrapalhou sua carrreira ?

De jeito nenhum, sempre gostei disso. Eu ainda quero ser, por isso quero ficar mais um pouco aqui fora, só volto para o Brasil quando eu estiver preparada pra enfrentar todo mundo. Por enquanto vou me recompondo por aqui.

O que seria enfrentar ‘todo mundo’ ?

Sempre tive muita personalidade quando era mais nova, não tinha medo de nada nem de ninguém e com o tempo perdi bastante isso, então quero voltar bem, com a cabeça boa e não abaixar pra ninguém. Aguentar todos os tipos de críticas, todas as responsabilidades, todas as decisões.

Seleção brasileira ainda faz parte dos seus planos ?

Pensar eu penso, mas agora que eu estou na Europa, eu penso mais em estar bem comigo mesma, com meu clube e viver feliz. Acho que se eu estiver bem, a seleção será uma consequência. Não desisti não, foi tudo um aprendizado. Mas não fico pensando freneticamente e vou deixar as coisas acontecerem naturalmente.

Hoje a seleção está bem entregue ?

Sim, sim. A Dani e a Fabíola são as melhores.

Dizem que você ‘não aconteceu’ na seleção. É verdade ?

Sinceramente até o ano passado isso era muito frustrante pra mim, me chateava, mas agora não mais. Não mesmo, o que passou, passou. Não posso voltar no passado e tentar de novo, agora só posso esperar uma próxima oportunidade.

Você sempre foi muito elogiada por todos os técnicos e quase sempre foi banco nos grandes times. Como assim ?

Faltou eu acreditar mais em mim, bater no peito e assumir meu espaço. Talvez eu não estivesse preparada para “enfrentar” todas essas oportunidades.


Drama do Rio do Sul faz Camila Paracatu acreditar em mau olhado
Comentários 1

Bruno Voloch

A CBV enfim usou o bom senso e adiou a estreia do Rio do Sul na superliga feminina.

A cidade foi uma das mais castigadas com as recentes enchentes e o ginásio Artenir Werner foi inundado. Assim, a partida contra Uberlândia que aconteceria dia 4, foi transferida para o dia 11 no mesmo local.

Mas os problemas do Rio do Sul não param por aí.

O técnico Rogério Portela, que já havia perdido Camila Paracatu por contusão, ficará sem a central Edna. A jogadora rompeu os ligamentos do joelho em amistoso na semana passada em Brasília, será operada e ficará 8 meses afastada das quadras.

O blog procurou Edna para conversar mas a atleta não foi encontrada.

Camila Paracatu também sofreu séria lesão no joelho ainda no início da temporada. A jogadora também rompeu os ligamentos, já foi operada e começou o trabalho de recuperação:

“A cirurgia aconteceu há uma semana apenas e meu problema foi no ligamento cruzado anterior. Honestamente, acredito mesmo em mau olhado, mas estamos sujeitas, infelizmente. Estou recebendo todo o apoio do clube e da comissão técnica”.

Camila não fala abertamente do calendário do vôlei brasileiro e confirma que o grupo está abalado:

“As meninas estão em Brasília até hoje onde participaram de amistosos na semana passada. Abalou, sem dúvida, mas é uma maré de coisas ruins”.

Camila é mineira, atua como central, tem 25 anos e jogou nas categorias de base da seleção. A jogadora defendeu ainda o Minas e Uberlândia.

 

 


Itália x Bulgária e Sérvia x Rússia fazem semifinais na Europa
Comentários 7

Bruno Voloch

Adeus zebras.

Os favoritos confirmaram o favoritismo nas quartas de final do campeonato europeu masculino de seleções.

Itália, Bulgária, Sérvia e Rússia irão brigar pelo título.

Com 18 pontos de Zaytsev, a Itália despachou de virada a Finlândia por 3 a 1 com 23/25, 25/20, 25/22 e 25/22. A Bulgária será a adversária da Itália na semifinal. Os búlgaros bateram a Alemanha também de virada e pelo mesmo placar, 3 a 1 com parciais de 28/30, 27/25, 25/22 e 25/20. Sokolov foi a estrela  da Bulgária com 29 pontos.

Do outro lado estarão Rússia e Sérvia. A Rússia, atual campeã da liga mundial, ganhou da França por 3 a 1. Os russos abriram 1 a 0, levaram o empate, mas fecharam o jogo com 25/22 e 25/21 no sets seguintes.

A Sérvia passou pela Bélgica, até então invicta no torneio, também por 3 a 1, com 25/22, 22/25, 30/28 e 25/18. O time comandado por Igor Kolakovic luta pelo bicampeonato europeu.

As semifinais acontecerão no sábado, dia 28, em Copenhague, na Dinamarca.


Rússia ‘ignora’ sugestão da FIVB e mantém sets em 25 pontos
Comentários 20

Bruno Voloch

O clássico entre Dinamo Kazan, de Gamova, e Dinamo Krasnodar, de Sokolova, marcou a abertura da competição.

Ekaterina Gamova fez 28 pontos, desequilibrou e foi responsável direta pelo vitória do Kazan..

A liga na Rússia também ignorou a sugestão da FIVB para testar os sets com 21 pontos e o torneio está disputado com os tradicionais 25 pontos.

Ana Paula Ferreira, conhecida como Fofinha, foi um dos destaques da primeira rodada do campeonato russo. A jogadora brasileira marcou 12 pontos na vitória do Fakel sobre o Tyumen por 3 sets a 1.

Fofinha está com 33 anos, tem passagens por Osasco e Macaé e atuou por 3 temporadas no Japão antes de se transferir para a Rússia.

 


São Bernardo lamenta saída de Cézar Douglas e nega salários atrasados
Comentários 2

Bruno Voloch

Acabo de receber uma mensagem de Alexandre Stanzioni, gerente do vôlei masculino de São Bernardo.

Segundo ele, as notícias dando conta de que Cézar Douglas teria deixado o clube por causa de salários  atrasados não é verídica:

Eis a íntegra, como manda o jornalismo:

‘A comissão técnica, da qual me incluo, não está com os salários atrasados. O Cézar recebeu uma proposta logo após a nossa vitória contra o próprio Taubaté pelo paulista e julgou ser interessante profissionalmente. O São Bernardo Vôlei lamenta neste momento não poder cobrir a proposta e deixou o treinador livre para optar. Ele sai deixando todas as portas abertas e sem nenhum valor de salário pendente. Qualquer outro esclarecimento que achar pertinente, me coloco à disposição, bem como a assessoria do clube. Temos 3 novas empresas patrocinando nossas duas equipes e notícias como essa não contribuem em nada a relação de transparência que procuramos passar a todos os nossos atuais e futuros parceiros comerciais. Certo de sua compreensão’

Alexandre Stanzioni, gerente do São Bernardo vôlei.

 


Estados Unidos e Cuba 100% na Norceca
Comentários 2

Bruno Voloch

Os Estados Unidos confirmaram o favoritismo e estão nas semifinais da Norceca. O vencedor da competição garante vaga na Copa dos Campões do Japão.

Além dos Estados Unidos, participam do torneio masculino as seleções de Cuba, Porto Rico, Canadá, República Dominicana, México, Guatemala e Santa Lucia.

Com 15 pontos de Priddy e 10 de Anderson, os norte-americanos ganharam fácil da República Dominicana por 3 a 0 e confirmaram o primeiro lugar do grupo A.

Cuba marcou 3 a 1 em Porto Rico e lidera o grupo B. O Canadá, que chegou jogos as finais da liga mundial de 2013, lidera o grupo C.

A Norceca está sendo jogada em Langley, Washington, Estados Unidos.

A Copa dos Campeões será jogada entre os dias 19 e 24 de novembro no Japão.


Com passagem relâmpago, Cézar Douglas deixa São Bernardo e assume Taubaté
Comentários 3

Bruno Voloch

Durou pouco a passagem de Cézar Douglas, ex-técnico do Vôlei Futuro, em São Bernardo.

Contratado em junho, o treinador, segundo o blog foi informado, estava há dois meses sem receber salários e optou em deixar o clube. O técnico vai assumir o comando do time de Taubaté.

Pedro Uehara, o Peu, irá dirigir São Bernardo.

João Marcondes, que dirigiu Taubaté nas primeiras rodadas da superliga, deve ser dispensado.

 


Cruzeiro pega ‘baba’ e atual campeão europeu no mundial de clubes
Comentários 7

Bruno Voloch

O Sada/Cruzeiro enfim conheceu seus adversários na primeira fase do mundial de clubes.

O time brasileiro está no grupo B e terá pela frente o La Romana, da República Dominicana, o Club Sportif Sfaxien, da Tunísia e o fortíssimo Lokomotiv Novosibirsk, da Rússia, atual campeão da Champions League.

Do outro lado estarão Trentino, da Itália, tetracampeão mundial, UPCN, da Argentina, Panasonic Panthers, do Japão e Kalleh, do Irã.

A estreia do Sada/Cruzeiro será contra o La Romana. A competição será jogada entre os dias 15  e 20 de outubro em Betim.